Acelere o passo e alcance suas metas rapidamente

Se você, ao invés de correr atrás de suas metas, está mais é se arrastando, abandone o mantra “aprecie a caminhada”. Ele só serve como justificativa para que você faça as coisas tão lentamente a ponto das suas metas ficarem, na verdade, cada vez mais distantes.

Pensar que acelerar o passo significa estar fazendo algo errado e gerando estresse nada mais é do que uma baita crença limitante.

Fazer com que seus objetivos se concretizem rapidamente é muito mais divertido. Na verdade, entrar em um ritmo acelerado é a melhor forma de curtir a caminhada. Algumas metas são praticamente impossíveis de serem alcançadas se você for muito devagar. Em muitos casos, mais rápido significa sucesso, enquanto mais devagar significa fracasso.

Agora, se ir mais rápido torna a caminhada menos agradável, você provavelmente escolheu as metas erradas. Se você não quer alcançá-las assim que possível, então talvez você não queira alcançá-las de verdade.

Quando cursei faculdade pela primeira vez, tentei ir no mesmo ritmo que os outros alunos rumo à graduação. Mas eu achava as aulas entediantes. Elas não me inspiravam em nada, e me formar em quatro anos parecia uma meta muito distante, além de completamente fora do meu controle. A experiência foi bem deprimente, mesmo sabendo estar frequentando a faculdade número 1 na minha área. Fiz o melhor que pude para apreciar caminhada: tentava me divertir quando não estava em sala de aula, ficava bêbado duas vezes por semana, roubava pequenos objetos em lojas e jogava muito pôquer. Isso até ajudou – eu certamente estava curtindo a caminhada -, mas não me ajudou a alcançar a graduação. Após três semestres na faculdade, fui expulso, e com razão.

Tirei um ano de folga e então tentei novamente. Dessa vez, tomei a decisão de tornar tudo mais divertido e inspirador – recomeçar como um calouro e conseguir me formar em um curso de duração de quarto anos em apenas um ano e meio.  Tudo o que eu precisava mudar era a velocidade em que eu alcançaria minha meta, e isso trouxe muitos outros elementos inspiradores para o processo: o comprometimento total da minha mente, motivação, foco, curiosidade, um senso de controle do processo, autoestima, e muitas outras coisas. Foi assim que me motivei para finalizar a caminhada. A energia que senti ao considerar um aumento na velocidade era um sinal bem claro de que eu estava no caminho certo.

E isso realmente funcionou. A nova velocidade tornou tudo mais divertido e significativo. Trouxe desafios interessantes e eu curtia gerenciar o meu próprio tempo. Finalmente eu tinha uma meta que valia a pena correr atrás. Eu não precisava mais me arrastar pelo caminho como aconteceu na primeira tentativa de fazer uma faculdade. Afinal, se o estudo em período integral equivale a 15 horas de aula por semana, então para onde vai o restante desse tempo? Um estudante que esteja levando sua formação a sério pode investir bem mais do que 15 horas semanais em aulas. Só dever de casa não é suficiente para preencher todo o tempo livre.

O interessante de aumentar a velocidade da caminhada é como essa mudança de ritmo te incentiva não somente a atingir suas metas, mas também a se tornar uma pessoa melhor durante o processo. Para que eu conseguisse atingir meus objetivos mais rapidamente, eu tive que mudar. Tive que me libertar de várias crenças limitantes, me tornar uma pessoa mais organizada, melhorar meu foco e aprender a deixar de lado detalhes irrelevantes. Tive que cultivar novos relacionamentos com pessoas que pensavam como eu e ainda aprender a evitar distrações. Como desenvolvimento pessoal é um tema que me interessa bastante, metas que me desafiam são muitos mais divertidas do que metas simples. O que realmente fez a diferença pra mim nessa caminhada foi a velocidade. Sem ela não haveria satisfação.

Imagine-se jogando seu jogo favorito a um décimo da velocidade. Isso te ajuda a curtir o jogo mais ou menos? Em alguns casos, até pode ser que seja melhor ir devagar. Xadrez pode ser bastante agradável em um ritmo lento. Não estou querendo dizer que todas as metas devam ser aceleradas, mas muitas delas são mais divertidas de se alcançar em um ritmo acelerado.

Só não rotule a velocidade como algo estressante. Nem todo estresse é ruim. Um ritmo agitado por criar um estresse positivo, e pode até significar a diferença entre atingir sua meta e nunca atingi-la. Ir tão devagar a ponto de nunca alcançar sua meta geralmente não é muito divertido. Você sempre poderá justificar o fracasso com os argumentos “bem, pelo menos aprendi algo” ou “eu apreciei a caminhada mesmo assim”, e isso pode ajudar, mas não teria sido melhor ter aprendido tudo isso e ainda alcançado suas metas?

Agora você já deve estar se perguntando em quais proporções deveria aumentar a velocidade dos seus passos… Bem, eu não estou falando aqui de aumentá-la aos pouquinhos. Estou sugerindo que você considere, no mínimo, dobrar a velocidade com que vem trabalhando em suas metas. Considere até trabalhar 10 vezes mais rápido. Pense em uma de suas metas e se pergunte: “Como eu poderia alcançar esse objetivo duas, cinco ou dez vezes mais rápido?”. Eu adoro considerar um aumento de ritmo de dez vezes porque me ajudar a ver as coisas de outros ângulos.

Escrever rápido é a minha forma preferida de criar posts pra o blog, e é por isso que tenho publicado tanto conteúdo. Se eu escrevesse lentamente, como muitos outros autores o fazem, acho que já teria me matado de tédio. Ir muito devagar acaba com a minha criatividade. Preciso escrever rápido para apreciar a caminhada.

Hoje em dia eu consigo escrever um artigo de 2.500 palavras em no máximo duas horas. Isso inclui o tempo desde que tenho a ideia inicial até o momento em que o artigo está completamente escrito, editado e publicado em meu website. Muitos autores com quem conversei consideram esse tempo bem curto. Eu o considero divertido.

Hoje acordei às 5 da manhã. Tive uma ideia para um artigo às 5:20am. E esse artigo de 1.100 palavras foi publicado um pouco depois das 6am – menos de 45 minutos desde o momento que a ideia surgiu. Esse ritmo me motiva bastante, e esses 45 minutos foram super agradáveis. Eu poderia ter levado toda a manhã para escrever o artigo, mas para que ir tão devagar? Rápido é mais legal!

Em uma velocidade maior, obviamente vou cometer mais erros. Posso não ter um texto muito elegante e alisado. Mas e daí? Eu posso ser brusco se que eu quiser. Consigo compartilhar as ideias rapidamente e gerar movimento. As pessoas vão tirar proveito dos meus artigos. O que importa é manter a energia em movimento e fluindo em um ritmo que seja motivador. Se você for muito devagar, as ideias podem murchar e morrer.

Hoje eu decidi encarar o desafio de escrever por 12 horas direto – e rápido – só pra ver quanto conteúdo eu conseguiria criar. Pretendo continuar escrevendo o dia todo, fazendo alguns rápidos intervalos para comer algo e descansar minha mente quando necessário. Os artigos serão publicados durante a semana, não todos ao mesmo tempo. Um desafio desses é uma forma de me motivar e apreciar o processo de escrever ainda mais.

Observe que ir mais rápido não significa, necessariamente, trabalhar longas horas. Significa pensar diferente sobre o trabalho, focar, e se divertir mais.

Você apreciaria o processo de alcançar suas metas mais rapidamente, duas, três, ou até dez vezes mais rápido? Escolha uma meta e pergunte a si mesmo, como posso tornar a caminhada dez vezes mais rápida? E observe as novas ideias surgirem do seu subconsciente. Veja se você não sente uma energia extra ou motivação só de pensar nessa velocidade. Aí, vá!

foto: Billy Wilson

Leia também

Steve Pavlina...

...é considerado o blogueiro internacional mais bem-sucedido e popular na área de desenvolvimento pessoal, com leitores em mais de 150 países. Por mês, seu site atrai mais de 2 milhões de pessoas - e isso sem propaganda, apenas no boca-a-boca. Leia seus artigos ou saiba mais sobre o autor.

Speak Your Mind

Leia o post anterior:
Não caia na armadilha do autoaperfeiçoamento

Eu era horrivelmente tímida quando criança, e detestava ser daquele jeito. Ao invés de uma menina calada e contida, eu sempre quis ser uma borboleta social. Eu queria ter sido...

Fechar