Precisar, desejar, adorar

Pode ser que você esteja louco pra mudar algo em sua vida. Quem sabe, descobrir a sua missão, ou talvez mudar de emprego ou até mesmo passar um tempo sem fazer nada. No entanto, o momento não parece propício para mudanças radicais, não é mesmo? Até porque você está preso a seu emprego e acostumado com a renda mensal – que te prende como uma armadilha.

Mas você pode se livrar dessa armadilha de obrigações e a lista de efeitos colaterais que a acompanha: estresse, dívida, descontentamento, ansiedade, depressão. O Ryan e eu conseguimos recuperar o controle de nossas vidas fazendo uma lista simples, dividida em três categorias, e você pode fazer o mesmo…

Primeiro, escreva todos os seus gastos mensais, até o último centavo. Aluguel, pagamento de carro, cartão de crédito, comida, gasolina, conta de luz, telefone, água, cafezinho, poupança, etc. Anote tudo – TUDO! Agora divida essa lista em três categorias:

Primeira categoria: Bens Necessários. Quais são as coisas que você realmente precisa para viver? Somos todos diferentes, mas a maioria de nós tem as mesmas necessidades básicas. Quais são as suas? Comida? Casa? Super Nintendo?

Segunda categoria: Bens Desejados. Essa categoria é importante. Muitas das coisas que você deseja podem trazer felicidade. O problema é quando desejamos coisas demais – novos carros, roupas de grife, compras impulsivas – que acabam se tornando bens adorados, supérfluos. Uma outra maneira de entender essa categoria é se perguntando, Isso irá adicionar valor a minha vida?

Terceira categoria: Bens Adorados. Essa é a categoria onde você diz, “Adorei essa televisão de 60 polegadas, mas eu não preciso de tudo isso.” Ou, “Adorei esse vestido, é a minha cara, mas eu não preciso de roupas novas.” Muitas das coisas que adoramos, acabam sugando a maior parte do nosso dinheiro, e é algo difícil de se notar no ato da compra — quando estamos no módulo consumista. Esses bens adorados são, em sua grande maioria, compras de impulso. A gente se sente nas alturas na hora da compra, mas essa sensação dura pouco, e só piora quando a fatura do cartão de crédito chega no correio. No final das contas, você nem adora tanto esses bens.

Agora que você fez a sua lista, tá na hora de agir. Vamos começar de baixo pra cima. (Foi isso o que nos deu segurança para fazer grandes mudanças em nossas vidas.)

Pra começar, durante o primeiro mês, livre-se por completo do desejo da compra de bens adorados.

No mês seguinte, faça o mesmo com os bens desejados (só pra começar). Quando você sentir que está no caminho certo, tendo feito mudanças necessárias em sua vida, você pode aos poucos se deixar pensar nas coisas que você deseja novamente. No entanto, é bem provável que você passe a desejar bem menos coisas do que antes – agora que adicionou valor à sua vida seguindo um caminho mais verdadeiro.

Lembre-se – desejar coisas é importante, pois adiciona valor à sua vida – mas não é tão importante quanto uma mudança significativa.

No terceiro mês, é a vez de reduzir pela metade (ou até mais, se você conseguir), os bens necessários. Você deve estar pensando, “Mas eu preciso de um teto pra morar! Eu preciso de comida! Eu preciso da minha MTV! Ok, você não precisa se livrar de tudo e nem morar numa tenda comendo Miojo. Mas você pode reduzir o seu custo de vida significantemente. Você conseguiria vender a sua casa como nós fizemos? Ou então reduzir o seu gasto com aluguel pela metade, vender o seu carro e comprar um mais barato, cortar suas despesas com alimentação, etc? É claro que sim! Não existe uma receita que vai funcionar para todos, mas você é capaz de reduzir os seus gastos em prol de uma vida mais significativa.

Esse é um preço alto que tem que pagar para seguir os seus sonhos. Infelizmente, muitas pessoas não querem pagar esse preço, e seus sonhos acabam se tornando uma opção ao invés de uma necessidade. Até que, com o tempo, acabam virando algo que nunca irá acontecer – e essa história nunca acaba com um final feliz.

Mas uma vez que você se desapegue das garras do dinheiro, passará a ter menos preocupações, e com isso, irá conseguir transformar a sua vida. Isso não quer dizer que você deva pedir as contas no trabalho nesse exato momento, mas sim que você precisa se planejar. Assim, quando estiver preparado, você irá tomar a decisão certa, pois não estará mais preso às armadilhas do dinheiro e de um estilo de vida consumista. Você conseguirá tomar uma decisão real, e não uma decisão baseada em medo.

Não existe atalho. Assim como uma flor, toda bela mudança necessita de tempo e de ação. No inicio, fazer essas mudanças dá muito medo (foi assim com a gente). E apesar das grandes mudanças geralmente serem simples, elas raramente são fáceis. Aliás, tudo o que realmente vale a pena de se fazer, nunca será fácil.

foto: elvis_payne

Leia também

Os Minimalistas...

...são Joshua Fields Millburn e Ryan Nicodemus, que escrevem artigos sobre como ter uma vida mais completa e feliz possuindo menos coisas. Em 2010, criaram o site TheMinimalists.com, que hoje já conta com mais de 100.000 seguidores. Leia seus artigos ou saiba mais sobre o autor.

Speak Your Mind

Leia o post anterior:
Hábitos e a visão de longo prazo

Se você não está satisfeito com a vida que leva hoje, e ainda assim continua a praticar os mesmos hábitos que te trouxeram até aqui, no ano que vem você...

Fechar