9 habilidades essenciais que toda criança deve aprender

As crianças que aprendem através do sistema educativo atual não estão sendo bem preparadas para o futuro.

Infelizmente, eu também fui educado por um sistema que acreditava que tudo permaneceria essencialmente o mesmo no futuro, com exceção de algumas pequenas mudanças na área da moda. Fomos treinados com um leque de habilidades conforme os empregos que estavam em demanda nos anos 80, e não no que poderia acontecer nos anos 2000.

E isso até que faz sentido, já que ninguém poderia de fato saber como a vida seria em 20 anos. Imagine os anos 80, quando os computadores pessoais ainda eram relativamente recentes, quando o fax era a tecnologia de ponta e a internet de hoje era apenas um sonho de escritores de ficção científica.

Não tínhamos a menor ideia do que o futuro reservava para nós.

E tem mais: nós continuamos sem saber o que o futuro trará. Nunca fomos bons em prever o futuro, então criar e educar nossos filhos como se tivéssemos alguma ideia do que está realmente por vir não faz muito sentido.

Então, como preparar nossos filhos para um mundo imprevisível e desconhecido? A resposta é mais simples do que parece: ensinando-os a se adaptarem, a lidarem com mudanças, enfim, a estarem preparados para o que quer que o futuro traga.

Veja abaixo as habilidades que todas as crianças deveriam aprender, pois irão prepará-las melhor para qualquer tipo de futuro:

1. Fazer perguntas. O que mais esperamos de nossos filhos, na fase do aprendizado, é que sejam capazes de aprender sozinhos. Porque se conseguirem fazer isso, não precisaremos ensinar-lhes tudo. O que quer que eles precisem aprender no futuro, podem aprender sozinhos. E fazer perguntas é a melhor forma de aprender. Felizmente, as crianças já fazem isso naturalmente, e nosso papel é, simplesmente, o de estimular isso. Quando você e seu filho encontrarem algo novo, faça perguntas e explore as possíveis respostas com ele. Quando ele fizer perguntas, reconheça como algo positivo ao invés de puni-lo. Você ficaria surpreso com a quantidade de adultos que desencorajam o questionamento de seus filhos.

2. Resolver problemas. Se uma criança consegue resolver problemas, ela pode trabalhar com qualquer coisa. Um novo emprego pode ser intimidante para qualquer um de nós, mas na realidade é só um novo problema a ser resolvido. Uma nova habilidade, um novo ambiente, uma nova necessidade… Tudo isso são apenas problemas a serem resolvidos. Ensine seu filho através de exemplos, e depois deixe que ele resolva alguns problemas bem fáceis por conta própria. Não resolva imediatamente todos os problemas do seu filho. Deixe que ele quebre a cabeça e tente várias soluções possíveis, e recompense esse esforço. Uma hora seu filho irá desenvolver confiança nas suas habilidades de resolução de problemas, e aí não haverá nada que ele não possa fazer.

3. Encarar projetos. Como um empreendedor online, eu sei que meu trabalho é constituído de uma série de projetos, algumas vezes relacionados, às vezes pequenos e às vezes grandes. Também sei que não existe projeto que eu não possa encarar, porque já encarei muitos. Este post é um projeto. Um livro é um projeto. Vender o livro é outro projeto. Trabalhe em projetos com seu filho, deixando que ele veja como funciona ao trabalhar com você, e gradativamente deixando que ele faça mais coisas por conta própria. Em pouco tempo ele terá ganhado confiança e o aprendizado será apenas uma série de projetos empolgantes pra ele.

4. Encontrar sua paixão. O que me guia não são as metas, não é a disciplina, motivação externa e nem as recompensas… O que me guia é a paixão. Quando estou empolgado a ponto de não conseguir parar de pensar em algo, mergulho no assunto com tudo, e na maioria das vezes consigo concluir o projeto aproveitando cada momento. Ajude seu filho a encontrar coisas pelas quais ele tenha paixão. É apenas uma questão de experimentar várias coisas diferentes, achar as que mais o empolgam e ajudá-lo a realmente curti-las. Não desencoraje um interesse sequer. Estimule seu filho e faça com que ele seja recompensado por seu esforço.

5. Independência. Devemos ensinar as crianças cada vez mais a andar com suas próprias pernas. Aos poucos, é claro. Lentamente, estimule-as a fazer coisas sozinhas. Ensine, exemplifique, ajude, ajude menos, e deixe que elas cometam seus próprios erros. Dê a elas confiança em si mesmas para que encontrem seu sucesso, e para que saibam resolver seus próprios fracassos. Quando aprenderem a ser independentes, não irão precisar de um professor, de um pai, mãe ou de um chefe para dizer a elas o que fazer. Vão saber se virar sozinhas, ser livres e descobrir seus próprios caminhos.

6. Ser feliz sozinho. Muitos de nós, pais e mães, superprotegemos nossos filhos, mantendo-os dentro de uma bolha, fazendo-os dependerem de nossa presença para serem felizes. Quando a criança cresce, não sabe como ser feliz sozinha. Ela precisa imediatamente se prender a um(a) namorado(a) ou a amigos. Se fracassam nisso, encontram felicidade em outras coisas: compras, comida, vídeo games, internet. Mas se uma criança aprende desde pequena que ela pode ser feliz consigo mesma, brincando, lendo e imaginando, ela possui uma das habilidades mais valiosas que existem. Permita que seus filhos fiquem sozinhos desde pequenos. Dê a eles privacidade, providencie esses momentos. Você também precisa ficar sozinho.

7. Compaixão. Uma das habilidades mais essenciais. Precisamos disso pra trabalhar bem com os outros, para nos preocuparmos com outras pessoas e para sermos felizes fazendo os outros felizes. O segredo é dar exemplo de compaixão. Tenha compaixão pelos seus filhos o tempo todo, e pelos outros também. Estimule a empatia perguntando a seus filhos como eles acham que os outros se sentem. Aproveite cada oportunidade para demonstrar como aliviar o sofrimento dos outros (se possível), como fazer outras pessoas se sentirem felizes através de pequenas gentilezas, e como seus filhos consequentemente poderiam se sentir felizes com isso.

8. Tolerância. Geralmente crescemos em grupos isolados  onde as pessoas são bem parecidas, mesmo que apenas superficialmente. Quando entramos em contato com pessoas diferentes da gente, isso pode gerar um certo desconforto, choque ou até medo. Exponha seus filhos a pessoas de todos os tipos, de raças diferente, sexualidade e mentalidades diferentes. Mostre a eles que não existe problema algum em ser diferente, e que devemos celebrar as diferenças. é essa variedade que faz a vida ser tão bela.

9. Adaptação. Acredito que esta seja a habilidade mais essencial de todas. Como o mundo está sempre em constante mudança, estar apto a aceitar mudanças, a lidar com elas e a seguir o fluxo será uma vantagem competitiva. Essa é uma habilidade que eu mesmo ainda estou aprendendo, mas que já me ajuda muitíssimo. Sou uma pessoa melhor só por tentar não resistir ou ter medo de mudanças. Não quero ser daqueles que estabelecem metas e planos e aderem de forma rígida. A rigidez é muito menos útil num ambiente de mudança do que a flexibilidade, a mutabilidade e a fluidez. Repito, é importante exemplificar essa habilidade para o seu filho sempre que possível, e deve ser uma prioridade mostrar a ele que mudanças são normais, que você pode se adaptar e aproveitar novas oportunidades que antes não existiam. A vida é uma aventura, e certas coisas vão dar errado, serão diferentes do que você esperava e vão acabar com quaisquer planos que você tenha feito. E isso faz parte do show da vida.

Não podemos ensinar aos nossos filhos somente um conjunto de informações relacionadas a carreiras específicas, pois não sabemos o que o futuro lhes reserva. Mas podemos prepará-los para que saibam se adaptar a qualquer coisa, para que saibam aprender o que desejarem e, em cerca de 20 anos, para que nos agradeçam por isso.


foto: anthro_aya

Leia também

Leo Babauta...

...é o criador do blog ZenHabits.net, um dos blogs em inglês mais visitados na internet, com mais de 240.000 assinantes e ranqueado pela revista Time como um dos Top 25 Blogs por dois anos seguidos (2009 e 2010). Leia seus artigos ou saiba mais sobre o autor.

Speak Your Mind

Leia o post anterior:
Aprendendo com o fracasso

Ano passado eu fracassei tantas vezes que até perdi a conta. Não importa a frequência com que eu tenha fracassado, o medo de fracassar é sempre angustiante, intenso, e nada...

Fechar