Como conviver em paz com seus filhos

Ser pai e não se estressar é impossível.

Eu tenho seis filhos, e um dia um leitor me pediu que escrevesse sobre a convivência pacífica com os filhos. Eu aprendi muito sobre ser pai, e me sinto realizado, mas sei também que ser pai e não se estressar é algo impossível.

Os pais sempre terão estresse: desde as malcriações, machucados, pirraça na hora da comida, até as preocupações com potenciais acidentes, se estamos ou não criando nossos filhos direito, se serão capazes de se sustentar e de encontrar a felicidade e o amor.

Mas apesar de tudo isso, eu aprendi que é possível encontrar paz.

A paz não é a ausência de estresse, e sim a maneira como você lida com o estresse quando ele aparece. É não deixar que ele tome conta, fazendo com que apenas passe por você. E, em seguida, sorrir, respirar fundo e abraçar seu filho.

Existe um caminho para o convívio pacífico com os filhos, e apesar de não o conhecê-lo por completo, vou compartilhar aqui o que aprendi até agora:

O caminho

Só se aprende o caminho passando por ele:

  • Dê um “bom dia” bem carinhoso para o seu filho todas as manhãs, com um sorriso e um abraço! É assim que todos nós gostaríamos de ser tratados logo pela manhã.
  • Ensine seu filho a fazer seu próprio café da manhã. Isso começa por volta dos 3 ou 4 anos de idade para a maioria das crianças. Com o tempo, ensine a escovar seus dentes, lavar sua própria louça, fazer comida, varrer, limpar, etc.
  • Ensinar essas responsabilidades requerer paciência. No início, eles podem não gostar, e você vai ter que repetir várias vezes, mas deixe que tentem sozinhos e deixe que errem. Aos poucos, vão aprender a ter independência e com isso você terá menos com que se preocupar em relação a eles.
  • Os mais velhos podem ajudar os mais novos. É bom pra aprenderem a ter responsabilidade, e isso ajuda os mais novos a aprenderem com os mais velhos, tirando um pouco do estresse de você.
  • Leia para eles frequentemente. É uma forma maravilhosa de se unir, educar e explorar mundos imaginários.
  • Brinque bastante, pois brincar é a essência da infância.
  • Quando seu filho pedir sua atenção, dê atenção a ele.
  • No entanto, pais precisam de um tempo a sós. Separe um tempo para você e para o casal, quando seu filho pode fazer coisas sozinho.
  • Quando seu filho estiver chateado, coloque-se no lugar dele. Não apenas julgue seu comportamento (sim, chorar e gritar não é o ideal), mas preste atenção nas necessidades por trás do comportamento. Ele precisa de um abraço, atenção ou está simplesmente cansado?
  • Modele o comportamento que você quer que seu filho aprenda. Não grite com ele porque ele estava gritando. Não fique bravo com uma criança por ela ter perdido a cabeça ou por ela querer ficar o tempo todo jogando videogame se você fica o dia inteiro no seu laptop. Tenha calma, sorria, seja educado, saia ao ar livre e seja ativo.
  • Quando um período estressante aparecer (e eles vão aparecer), aprenda a lidar com isso com um sorriso no rosto. Tire sarro, transforme isso numa brincadeira, ria… você estará ensinando seu filho a não levar as coisas tão a sério e que a vida é pra se curtir. Respire fundo, saia de perto se você perdeu cabeça, e volte quando conseguir sorrir.
  • Lembre-se que seu filho é uma dádiva. Ele não vai ser criança por muito tempo, e a partir daí o tempo que você passa com ele reduzirá cada vez mais. Cada momento juntos é um milagre e você deve valorizar isso. Aproveite ao máximo e seja grato por ele.
  • Deixe que seu filho compartilhe seus interesses com você. Cozinhem juntos, costurem, se exercitem, leiam, desenvolvam um site, escrevam um blog juntos.
  • Saiba que quando você pisar na bola como pai (mãe), tudo ficará bem. Perdoe-se, peça desculpas e aprenda com essa falha. Em outras palavras, modele o comportamento que você quer que seu filho tenha toda vez que ele pisar na bola.
  • Tenha paciência ao ensinar seu filho os limites de comportamento. Deve haver limites — o que é aceitável e o que não é. Não é certo fazer coisas que possam prejudicar a si próprio e os outros. Ele deve tratar a todos com educação e respeito. Essas coisas as crianças não aprendem imediatamente, então tenha paciência, mas estabeleça os limites. Dentro desses limites, permita muita liberdade.
  • Dê um pouco de espaço ao seu filho. Os pais geralmente sobrecarregam a vida dos seus filhos com aulas, esportes, música, clubes e coisas desse tipo, mas manter uma agenda abarrotada assim é estressante para os filhos e para os pais. Deixe a criança ir brincar lá fora. Tempo livre e necessário. Além disso, você não precisa estar junto sempre. Eles precisam de tempo sozinhos tanto quanto você.
  • Exercite-se para reduzir o estresse. Dar uma corrida é algo ótimo. Faça uma sessão de massagem de vez em quando.
  • É de uma ajuda tremenda que os pais sejam parceiros. Um assume o comando quando o outro ficar estressado. Quando um começar a perder a cabeça, o outro deve ter a calma necessária para que as coisas se equilibrem.
  • Se possível, mamãe e papai precisam sair juntos pelo menos uma vez por semana. Contrate uma babá ou, melhor ainda, ensine os filhos mais velhos a tomarem conta dos mais novos.
  • Cantem e dancem juntos.
  • Aproveite qualquer oportunidade para ensinar educação e amor — a melhor lição de todas.
  • Dê um beijo de boa noite no seu filho, e agradeça por mais um dia incrível com seu filho lindo, único e maluco.


foto: flickrized

Leia também

Leo Babauta...

...é o criador do blog ZenHabits.net, um dos blogs em inglês mais visitados na internet, com mais de 240.000 assinantes e ranqueado pela revista Time como um dos Top 25 Blogs por dois anos seguidos (2009 e 2010). Leia seus artigos ou saiba mais sobre o autor.

Speak Your Mind

Leia o post anterior:
Como se livrar de presentes materiais e levar uma vida com mais significado

Nossa cultura valoriza o ato de presentear, enfatizando, e muito, o ato de dar itens físicos aos outros como demonstração de carinho. Parece besteira escrever isso, mas é a dura...

Fechar