Geração de ideias na criação de renda passiva

À medida em que avançamos nessa série sobre renda passiva, você vai começar a ter ideias de como criar novas fontes de renda passiva. Mas como saber quais delas vale a pena seguir?

Comece pequeno

Quando se tem uma primeira ideia para criação de renda passiva, é fácil dar um passo maior que as pernas. Se você possui experiência em concluir grandes projetos, não deixe que eu te segure. Mas se você tem tendência a desanimar no meio do caminho e desistir cedo demais, então eu sugiro reduzir um pouco suas ambições. Comece pequeno, encarando um projeto simples, em cuja conclusão você se sinta confiante.

É melhor finalizar um e-book de 30 páginas, vendê-lo por $7 e gerar algumas vendas por mês do que encarar um projeto literário de 200 páginas e nunca terminar. O primeiro fornecerá valor real às pessoas; o último só irá te frustrar.

Encare seus primeiros projetos como um aquecimento para o sucesso. A melhor maneira de prever o que vai ser sucesso no futuro é se baseando no que fez sucesso no passado. Por isso, pense em obter sucesso executando projetos menores, que de fato sejam finalizados e lançados. Quando tiver feito alguns desses, aí então considere subir alguns degraus e encarar projetos maiores. Mesmo com planos aparentemente pequenos, você aprenderá muito. Vai ficar mais rápido e, consequentemente, será mais fácil avançar e trabalhar em projetos maiores.

É muito fácil não se atentar aos detalhes e subestimar quanto tempo as coisas vão levar. Com alguns dos meus primeiros projetos, eu estimei que poderia desenvolver um jogo estilo arcade em 2 ou 3 semanas, mas na verdade levou cerca de 6 meses. Há muitos passos escondidos que geralmente ficam de fora em uma estimativa, como criar o programa de instalação, a música e os efeitos sonoros, escrever a documentação, configurar o sistema de pedidos online etc.

Se você nunca criou uma fonte de renda passiva antes, seu primeiro projeto pode envolver muitos passos que só precisarão ser feitos uma vez, como desenvolver uma loja virtual. Mas depois que fizer esse trabalho inicial, pode criar fontes semelhantes com incrível facilidade apenas inserindo-as no mesmo sistema.

Tente não ficar empolgado demais em criar uma obra-prima no seu primeiro projeto. Atenha-se a aprender o básico e criar uma fonte modesta, porém bacana. Se você conseguir gerar até $50 por mês com sua primeira fonte, já é um bom começo. Normalmente é mais difícil ir de $0 a $50 por mês do que de $50 a $500 por mês.

Inspiração vs. Pesquisa de Mercado

Existem duas linhas de pensamento sobre como escolher projetos criativos geradores de renda. Uma é seguir a sua intuição e fazer o que te inspira. E a outra ideia é pesquisar o que as pessoas realmente querem comprar e então criar algo para esse público-alvo.

Eu geralmente consigo os melhores resultados combinando as duas abordagens. Primeiro, eu foco em tentar entender o que as pessoas querem até não aguentar mais. Faço isso através de pesquisas online, entrevistas ou apenas conversando com as pessoas. Ao longo dos anos eu me encontrei pessoalmente com centenas de leitores do meu blog, principalmente em workshops. Isso sempre me ajudou a entender melhor suas necessidades e definir o que eu posso oferecê-los de útil.

Se você possui seu próprio site ou um público já existente que possa utilizar para fazer pesquisa, este é um ótimo ponto de partida, mas você também pode facilmente conseguir informações em outros sites.

Por exemplo, eu comecei criando jogos arcade simples para computador porque eles eram relativamente fáceis de desenvolver. Esses jogos não venderam bem o suficiente. Então eu fiz algumas pesquisas de mercado, procurando uma demanda forte por outros tipos de jogos, principalmente nos gêneros que me interessavam. Eu passava horas em sites de baixar jogos para ter ideia do que havia disponível e do quão popular cada jogo era. O objetivo era descobrir como eu poderia agregar valor, criar algo original mas que fosse, ao mesmo tempo, familiar o bastante pra vender bem.

Foi quando eu decidi desenvolver um jogo de enigmas. O mercado de jogos baratos desse gênero estava bem saturado, e as pessoas realmente estavam baixando um monte de jogos não muito bons nessa categoria. Portanto, a pesquisa me ajudou a perceber que se eu fizesse um jogo de enigma decente, provavelmente venderia bem.

Em seguida, eu comecei a pensar em algumas ideias para o design. Descobri que ouvir opiniões de várias pessoas ajuda no processo criativo, pois passo a perceber falhas nas criações dos outros, e isso é fundamental para enxergar como eu posso fazer diferente e criar um produto original.

Após a pesquisa, tive uma ideia inspiradora, e trabalhei muito nela até o jogo ficar pronto. Só no dia de lançamento, esse novo jogo vendeu mais do que meus 4 jogos anteriores juntos. Meses depois, ele estava rendendo 10 vezes mais do que os outros. Esse é o poder da pesquisa de mercado. Se você vende algo que as pessoas querem comprar, pode conseguir resultados financeiros muito bons.

Como fazer pesquisa de mercado

Eu não sou um especialista em conduzir pesquisas de mercado. Há muitas variáveis nas quais você pode emperrar se exagerar nas análises. Costumo praticar uma abordagem bastante geral nas pesquisas, observando principalmente duas coisas:

  1. O que as pessoas já estão comprando?
  2. Onde há demanda relativamente alta e poucas opções de produtos?

Às vezes é difícil responder à primeira pergunta de forma precisa pois você provavelmente não tem acesso às estatísticas de vendas dos concorrentes. Mas você geralmente pode utilizar dados públicos para fazer estimativas plausíveis. Eu não sabia qual era o volume de vendas de outros desenvolvedores de jogos, mas podia ir a sites de download e ver quantas vezes cada demonstração de jogo tinha sido baixada e quantos jogos existiam em cada categoria. Não foi difícil supor que um gênero poderia me render o triplo de vendas do que outro.

Eu também podia olhar os rankings de visitação dos sites de outros desenvolvedores de jogos pra ver o quão populares eram. Além disso, eu conhecia pessoalmente muitos profissionais dessa área, então eu tinha ideia de quem estava realmente ganhando dinheiro e quem não estava.

Pode ser complicado achar o equilíbrio entre fazer algo que te inspira e algo que as pessoas queiram comprar. Mas eu já vi situações onde os resultados são 10, 20 e até 50 vezes melhores quando os criadores finalmente decidem dar às pessoas o que elas realmente querem ao invés de tentar convencê-las de que elas querem o que foi criado.

Não, eu não acho que seja necessário sacrificar sua integridade artística para satisfazer o público. Na verdade, acho que prestar mais atenção no que as pessoas querem acabou me tornando um artista melhor. É uma questão de equilíbrio.

Acredito que os melhores trabalhos de arte são desenvolvidos com um forte componente social, havendo feedback constante entre o artista e seu público.

Decisões

Outra vantagem de saber o que as pessoas querem é que você sabe quando está indo contra os desejos delas. Daí, você passa a ter a opção de escolher continuar nesse caminho de forma consciente, sem se desiludir com os resultados.

Com base em algumas pesquisas que fiz, apostei que o meu Workshop do Sucesso Consciente venderia bem mais do que o Workshop dos Relacionamentos Conscientes. E foi isso mesmo que aconteceu. O primeiro vendeu duas vezes mais inscrições que o segundo.

Eu já sabia, antecipadamente, que ganharia mais dinheiro com o workshop sobre sucesso do que com o sobre relacionamento. E mesmo sabendo que iria ganhar menos dinheiro, ainda assim me senti inspirado a realizá-lo. Seria até melhor ter um grupo pequeno, mais íntimo, para discutir sobre o tópico relacionamento.

Então, nesse caso, a pesquisa me deu uma ideia dos resultados que eu deveria esperar. Eu pude fazer uma escolha baseada em informações concretas, e por isso não houve qualquer decepção com as vendas menores.

É bom ter uma ideia das consequências de colocar outras motivações à frente do desejo de ganhar dinheiro. Assim, você pode se perguntar se a liberdade de criar algo que você realmente deseja compensa o resultado financeiro. Não há jeito certo ou errado de tomar essas decisões. É uma questão de preferência. Você pode fazer escolhas diferentes ao longo do tempo e ver como cada tipo de projeto se sai, observando como você se sente ao realizar cada um deles.

Riscos

Há sempre algum risco envolvido com ideias novas e que ainda não foram testadas, mas cada um tem um nível diferente de tolerância ao risco.

Se você tem menos tolerância, então sugiro que se concentre na pesquisa de mercado e faça um bom trabalho de identificação da demanda. Dessa forma, você não perde tempo criando algo que ninguém quer comprar.

Mas, se você é mais tolerante ao risco, pode fazer algo novo, e dedicar menos tempo à pesquisa de mercado. O sucesso é longe de ser garantido, mas você pode acabar se deparando com uma demanda até então desconhecida.

Isso é uma questão de escolha pessoal e suas preferências podem mudar dependendo do que está acontecendo na sua vida. É como qualquer outra forma de investimento. Você quer algo seguro e com resultados relativamente previsíveis, ou quer arriscar e explorar territórios desconhecidos?

Por ter fontes de renda passiva suficientes pra me manter, eu posso me dar ao luxo de assumir mais riscos na criação de novas fontes de renda. Mas se eu estivesse apenas começando, seria mais conservador e manteria o foco em projetos com fortes demandas.

Boa parte dessa pesquisa pode ser feita com ferramentas gratuitas e informações disponíveis online. Por exemplo, você pode ver o quanto um livro está vendendo verificando os rankings da Amazon.com. Hoje em dia é possível ter uma boa ideia do quão bem um produto está vendendo apenas consultando dados na web. Isso não é difícil se você tiver um pouco de habilidade com a Internet.

Inspiração

Às vezes eu tenho ideias inspiradoras antes de ter feito qualquer pesquisa de mercado. Nesses casos eu ainda posso fazer pesquisa pra validar ou não a ideia em questão. Talvez eu esteja empolgado com aquilo no momento, mas a questão é: Isso vai vender?

Por exemplo, alguns anos atrás eu tive a ideia de oferecer consultoria pessoal (coaching), mas não sabia exatamente o que oferecer nem quanto cobrar por isso. Parecia uma ideia inspiradora na qual eu deveria investir, mas eu tinha muitas dúvidas em relação a ela. Então decidi fazer um teste oferecendo sessões de 1 hora nos leilões do eBay (um site americano semelhante ao Mercado Livre) e convidando as pessoas pra darem lances.

O leilão do meu serviço atingiu $1.000 antes do eBay tirá-lo do ar. Aparentemente o eBay não permite aos usuários colocar à venda coisas intangíveis.

Felizmente o leilão durou tempo suficiente pra me convencer de que haveria uma demanda decente pra coaching, então eu comecei a oferecer esse serviço.

Esse foi um exemplo de como a inspiração veio primeiro. Aí então eu fiz um pouco de pesquisa e testes pra validar a ideia antes de me comprometer.

Vá em frente e teste sua ideia no mundo real. O benefício dessa prática é que você pode acabar descobrindo algo que dá muito certo, e terá um ponto de partida mais seguro.

Coragem

Se você é mais corajoso do que a maioria das pessoas, terá menos concorrentes. Um motivo pelo qual dar palestras dá tanto dinheiro é que muita gente tem medo de falar em público, então o mercado não é tão competitivo. Se você deseja encarar questões das quais os outros têm medo, a maioria dos seus potenciais concorrentes irá se render logo de cara e lhe entregar esses mercados de mão beijada.

Resumindo as questões presentes nesse artigo, a seleção de ideias tem muito a ver com a tolerância ao risco. Quanto menos tolerante ao risco você for, mais deve fazer pesquisa de mercado e avaliação de demanda pra guiar suas decisões. À medida em que sua tolerância ao risco aumenta, você pode encarar projetos mais inspiradores. Porém, mesmo nesses casos você ainda pode escolher validá-los com um pouco de pesquisa de mercado, e seguir em frente com mais confiança.

E se você não conseguir ter ideias de jeito nenhum? Experimente tomar um café expresso duplo para estimular o fluxo de ideias.


foto: Rego – d4u.hu

Leia também

Steve Pavlina...

...é considerado o blogueiro internacional mais bem-sucedido e popular na área de desenvolvimento pessoal, com leitores em mais de 150 países. Por mês, seu site atrai mais de 2 milhões de pessoas - e isso sem propaganda, apenas no boca-a-boca. Leia seus artigos ou saiba mais sobre o autor.

Comments

  1. David Dias Silva says:

    Boa tarde amigo,

    Parabéns pelo texto. É excelente!
    Eu estou buscando e estudando muito sobre renda passiva mas, infelizmente, ainda não encontrei nada que gere lucros reais.
    Tenho alguns investimentos em criptomoedas e em ações bovespa mas eu quero um rendimento passivo para que eu possa alimentar meus investimentos ao invés de usa-los como renda.
    Poderiamos conversar um pouco?

    Forte Abraço

    • Fernanda Thiesen says:

      Olá David. Obrigada pelo comentário. Quem escreveu esse texto foi o blogueiro internacional Steve Pavlina. Nosso trabalho é fazer a curadoria, tradução e revisão dos textos. Você poderá encontrá-lo na internet através do Google, mas contactá-lo, além de um pouco difícil, precisará ser feito em inglês. Abs e boa sorte!

Speak Your Mind

Leia o post anterior:
O pequeno guia para a satisfação

Pouquíssimas coisas na minha vida causaram tanto impacto quanto aprender a me sentir satisfeito – com a minha vida, onde eu me encontro, o que faço, o que tenho, com...

Fechar